Champion recebe Selo de Estabelecimento Amigo da Aprendizagem e anuncia vagas para jovens trabalhadores

Por todas as ações e projetos voltados ao oferecimento de vagas de trabalho e qualificação de jovens, a empresa anapolina Champion, especializada em Saúde e Nutrição Animal, recebeu nesta terça-feira (12), o Selo Social de Estabelecimento Amigo da Aprendizagem, conferido pelo Ministério Público do Trabalho.

Presente na cerimônia, o diretor-geral da empresa, Wesley João de Oliveira, destacou que a participação dos aprendizes é importante para o desenvolvimento da Champion: “eles contribuem de diversas maneiras. Ao cumprirem suas funções dentro da empresa, os aprendizes auxiliam todos os setores, com sua garra, determinação e ainda com toda a vontade de aprender novos conhecimentos”.

WhatsApp Image 2019-06-12 at 15.24.21
Wesley Oliveira, diretor-geral da Champion, em cerimônia de entrega do Selo Social de Estabelecimento Amigo da Aprendizagem

“As tarefas executadas vão desde atividades administrativas até a recepção de visitantes que chegam a cada momento na empresa. Podem parecer simples, mas estas funções fazem com o que os jovens aprendizes conheçam a rotina da companhia e se preparem para, quem sabe um dia, assumirem um cargo efetivo”, acrescenta ainda o diretor-geral da Champion, Wesley Oliveira.

Ao todo, 25 empresas localizadas em cidades na área de atuação da Procuradoria do Trabalho de Anápolis foram agraciadas com o selo, que é dado àquelas que cumpriram a cota legal de aprendizagem e foram além do que é exigido em lei, oferecendo oportunidades para jovens que querem uma primeira oportunidade de trabalho.

De 2017 a 2019, a Champion contratou 13 aprendizes com idade entre 14 e 24 anos, para um período de 18 meses, sendo que sete destes contratos ainda estão ativos. Neste período, de 30% a 40% dos jovens foram efetivados na empresa após o fim do contrato. “Esse selo tem um grande valor, pois demostra que a empresa cumpre o seu dever legal, além disso se preocupa com a parte social”, destaca Marcos Vinícius Oliveira Moura, gerente de pessoal da Champion.

WhatsApp Image 2019-06-12 at 17.47.18.jpeg
Marcos Moura, gerente de pessoal da Champion

“Por isso investimos na capacitação desses jovens aprendizes. Eles não são apenas ‘entregadores de correspondência’, e sim pessoas capacitadas para exercerem várias funções em diversos departamentos”, destaca Marcos Vinícius. Ele pontua ainda que os aprendizes que se destacam mais são recompensados com a efetivação na empresa.

A boa notícia é que a Champion está com vagas abertas para aprendizes. Os currículos devem ser enviados para rh@champion.ind.br. Nos próximos meses, serão diversas contratações. “Vale a pena aproveitar a oportunidade de trabalhar em uma empresa que valoriza seus colaboradores. A Champion já recebeu três títulos consecutivos das Melhores Empresas para Você trabalhar, concedido pela revista Você S/A”, conclui Marcos Vinícius Oliveira Moura, gerente de pessoal da empresa.

A Lei Federal 10.097/2000, juntamente com o Decreto Presidencial 5.598/2005, regulamenta a contratação de aprendizes. Ainda esteve presente na cerimônia de entrega do selo o advogado da empresa, Renato Sales Guimarães.

Solenidade

A entrega do Selo Social de Empresa Amiga da Aprendizagem ocorreu na sede do Ministério Público do Trabalho em Goiânia. A solenidade contou com as presenças do procurador-chefe do MPT-GO, Tiago Ranieri, o promotor de justiça Rafael Machado, o presidente da Federação das Indústrias de Goiás (Fieg), Sandro Mabel, o presidente do Tribunal Regional do Trabalho de Goiás, Paulo Pimenta e o procurador da PTM de Anápolis e idealizador do Selo Social de Empresa Amiga da Aprendizagem, Meicivan Lemes Lima.

Advertisements

“Champion contribui para a preservação do Meio Ambiente”, destaca engenheiro florestal

Do desenvolvimento de seus produtos ao fomento a práticas sustentáveis, a Champion Saúde Animal adota medidas para preservação do meio ambiente. A constatação foi feita pelo engenheiro Douglas Matheus Lima Faria, que atua na empresa e participa no desenvolvimento de ações ambientais.

“A fabricação dos produtos na Champion deixa poucos ou quase nenhum resíduo no meio ambiente. Podemos citar como exemplo o carro-chefe da empresa. Difly, produto utilizado no combate a moscas e insetos: pode-se dizer que o processo produtivo é limpo, ou seja, não retorna poluentes para a natureza”, destaca Douglas Matheus.

Além do trabalho desenvolvido na indústria, a Champion mantém projetos agroflorestais em propriedades rurais em algumas cidades do Estado de Goiás. “Realizamos projetos experimentais com o plantio de eucaliptos, desenvolvimento de pastagem e criação de gado no mesmo ambiente. É uma iniciativa sustentável”, explica o engenheiro florestal Douglas Matheus Lima Faria.

A Lei 708/07 instituiu a Política Nacional de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (iLPF). “Os benefícios para o solo no sistema agropastoril são inúmeros: fixação de carbono, manutenção dos nutrientes do solo, fixação de nitrogênio, proteção do solo contra erosão e manutenção de suas propriedades e manutenção da temperatura ambiente”, acrescenta o engenheiro florestal Matheus.

Programação

Diversas ações ambientais de conscientização dos colaboradores estão previstas para o mês de junho na Champion Saúde Animal, conforme explica o engenheiro florestal Matheus Lima Faria. “Faremos diversas atividades em 5 de junho, que é o Dia do Mundial do Meio Ambiente. Será uma oportunidade de apresentarmos aos colaboradores o que a empresa está fazendo para tornar o mundo um lugar sustentável”, anuncia.

Produto que interrompe ciclo da larva do Aedes Aegypti pode ser a solução no combate à dengue

Enquanto governos municipais, estaduais e federal combatem, sem sucesso, o mosquito Aedes Aegypti, vetor da dengue, a ciência desenvolveu produtos que podem interromper o ciclo de vida do inseto já no início. O Diflubenzuron é um dos compostos que vêm sendo utilizado e que pode ser a saída para combater a doença.

O produto pode ser usado em água, diretamente aplicado em caixas d’água e demais reservatórios. A toxicidade é baixa, conforme atestado pela Organização Mundial de Saúde (World Health Organization Pesticides Evaluation Scheme – WHOPES).

Para o engenheiro florestal Douglas Matheus de Lima Faria, o uso do Diflubenzuron no combate à larva do mosquito Aedes Aegypti é uma das soluções mais eficientes para evitar que a dengue se torne uma epidemia.

“E uma questão de saúde pública. O Diflubenzuron é um princípio que, por ser inócuo, não reage e não gera danos ao meio ambiente. Ele é inerte e não bioacumulativo, ou seja, não se acumula na cadeia alimentar. Não tem dano para a saúde pública, não tem dano para o usuário, não tem efeito colateral, não tem nenhum princípio que danifique o sistema nervoso”, ressalta ainda o profissional Douglas Matheus.

O engenheiro florestal Douglas Matheus de Lima Faria reforça a eficiência do produto: “ao interromper o ciclo de vida da larva do Aedes Aegypti, o Diflubenzuron se coloca na vanguarda do combate à dengue, com a vantagem de não causar danos ao meio ambiente e ao ser humano”.

Ixquina Carioca dá adeus a Anápolis e anuncia fechamento após 9 anos em funcionamento

Felipe Homsi

Desde sua inauguração em Anápolis, no ano de 2010, o bar Ixquina Carioca ofereceu aos anapolinos um pedaço do Rio de Janeiro bem ali, na esquina da rua Doutor Faustino.

Após 9 anos desde sua abertura, o Ixquina anunciou o encerramento das suas atividades, em uma carta à comunidade enviada pelos proprietários, o casal Ronaldo Telles Costa e Ana Isabel Telles Costa.

Confira abaixo a íntegra do texto de despedida e conheça aqui um pouco da história de um dos bares mais queridos de Anápolis.

Foi como nessa foto, que em maio de 2010, eu, o Ixquina Carioca, humildemente abri as minhas portas.

Eu era um conceito novo ainda em Anápolis. Não tocava outros ritmos que não fossem samba, chorinho, bossa e pagode. Podiam pedir, mas eu podia não aceitar rs.

Os anos foram passando, e muita coisas legais aconteceram e passaram por mim.

Ao longo desses anos, foram 3 copas do mundo, 8 horas do planeta ( me orgulho disto. Fui o único a adotar por tanto tempo em Anápolis), muitas rodas de samba independente, shows de excelente qualidade : teve André Oliveira, Vinicius Garcez , Pérola & Felipe, Flávio Robbie, Adriana Moreno, Jack 3D, Priscilla Santana, Emanuel Guimarães, Welington Cardoso,Indira, Walder Xavier, Zacca, Giovana Valle, Vera Valle e Everton Valle, grupo Chorando em Trio, Vili Carl, Carlinhos Trivelli, Clayton do cavaquinho( Paulista ), Tadeu e sua cuíca. A vocês meus amigos, pelo profissionalismo e musicalidade, eu agradeço.

Durante esse período, Eu também fui padrinho de casamento. Cara, acredita? E não só de um casamento! O amor sempre esteve no ar por aqui rs.

Pelas minhas mesas passaram muita gente boa, muita conversa boa, muita cerveja boa. Foram mais 500 mil litros de cerveja. De pessoas? Eu nem sei contabilizar.

Nesse tempo também perdi amigos, em especial meu cliente número 1, João José. Você meu amigo, foi importante na minha vida e me deixou profundas saudades. Pode ter certeza que eu amei você.

Foram tantas coisas boas que presenciei que daria um livro. Até saí no jornal!
Passei por momentos difíceis? Sim!
Errei algumas vezes? Com certeza!
Mas até um pequeno boteco erra.

Infelizmente o tempo me cansou e é hora de descansar. Eu não sei se deixarei saudades, mas, eu sentirei saudade de vocês.

Posso cantar um samba pra vocês?

Antes de me despedir
Deixo ao sambista mais novo
O meu pedido final

Não deixe o samba morrer
Não deixe o samba acabar
O Ixquina foi feito de samba
De Samba pra gente sambar…

Até breve!

Vida de bar: Ixquina Carioca é o barzinho do Rio com a cara de Anápolis

Felipe Homsi

Ele tinha tudo para ser um típico bar carioca. O dono é carioca, a esposa, carioca, o filho mais velho, também e a filha mais nova, já sabem: é carioca também. Mas o Ixquina Carioca, inaugurado em maio de 2010, também é tão anapolino quanto o resto da cidade – e quem frequenta o local percebe este misto de Anápolis e Rio de Janeiro que toma conta do ambiente.

E a mistura começa pelos retratos de jogadores de futebol que estão espalhados em uma das paredes do bar. São fotos de futebolistas anapolinos que jogaram em grandes clubes cariocas e se destacaram, levando o município no peito e na raça para as terras cariocas.

Frequentar o Ixquina Carioca, localizado no Bairro Jundiaí, é fazer turismo pelo Rio de Janeiro sem ter viajado para lá. Ao mesmo tempo, por mais que pareça confuso, é se sentir tão anapolino quanto quem nasceu por aqui. E quem faz os frequentadores terem este sentimento é o proprietário, o carioca Ronaldo Telles Costa, que conhece a fundo as notícias, história e características de Anápolis, melhor que muito cidadão.

Basta meia hora de conversa para ver que ele se interessa pelas pessoas que frequentam o bar, quer saber suas histórias, gosta de se envolver com sua clientela – na verdade, ele aparenta ter conquistado mais amigos do que clientes desde que abriu o bar. Ronaldo conta de “clientes que se conheceram lá, casaram e nos convidaram para sermos padrinhos (do casamento)”.

O mix Rio-Anápolis só vai melhorando à medida que Ronaldo Telles Costa vai contando como funciona a transmissão de jogos de futebol no Ixquina Carioca: “Outro detalhe também é que nós passamos o Campeonato Carioca e, no Campeonato Brasileiro, procuramos passar somente os times do Rio de Janeiro”.

E como seria o repertório musical da casa? “Logicamente, você não pode esquecer que também lá não rola sertanejo. É só Bossa Nova, Chorinho, Samba, essas coisas”, diz, soltando risadas. Para comprovar que não é exagero dizer que Rio e Anápolis se misturam na mesa do Bar Ixquina Carioca, basta acessar a fanpage deles no Facebook.

Uma descrição do local é feita na rede social de maneira direta, sem rodeios, melhor, sem chorinhos: “o Ixquina Carioca inaugurou em Anápolis o conceito de Bar temático, trazendo um pouco da atmosfera carioca para os anapolinos. Com ambiente puramente inspirado nos botequins cariocas, tivemos sempre a preocupação de manter o clima e atendimento informal típico do Rio. Com gêneros musicais como samba, chorinho e bossa nova, nunca deixamos nossas raízes, e em 6 anos, jamais esquecemos a bandeira a qual defendemos, um boteco carioca”.

E quem disse que Carioca não pode se apaixonar por Anápolis ou que os anapolinos não podem sentir que um pedaço do Rio de Janeiro estacionou por aqui? Como que de modo mágico, o bar acabou se tornando um elo entre as duas cidades. Como descrito no Facebook do Ixquina, “laços foram se criando, amizades se formando, e muita, muita coisa aconteceu aqui. São tantos papos de mesa de bar que daria para escrevermos um livro”.

Ronaldo Telles da Costa tem o apoio da sua esposa, Ana Isabel Telles Costa e de sua filha, Lucilla Telles Costa, para deixar o Ixquina tão Carioca quanto o próprio nome diz. Ambas trabalham no bar, que funciona de quarta a domingo. O filho mais velho, Ronaldo Telles Costa Filho, mudou-se de Anápolis para Marabá (PA), mas durante um tempo trabalhou no Ixquina Carioca.

Senhoras no bar

Eclético talvez não seria a palavra mais completa para definir o Ixquina Carioca. Mas é bem verdade que por lá passam pessoas de todos os jeitos e, claro, idades. O próprio Ronaldo destaca com entusiasmo esta característica marcante do seu bar, frequentado por pessoas das mais diversas correntes políticas, ideológicas e condições sociais. É um bar de amizades.

“Ali virou como se fosse uma confraria, uma reunião de amigos, porque todos os clientes se conhecem, todos são amigos. Nunca tivemos um incidente, nada. Sempre ocorreu tudo na paz. E nos orgulhamos muito, inclusive, de termos senhoras da minha idade, da sociedade que frequentam com suas amigas. Algumas vão sozinhas. Senhores, também, rapazes, jovens. Todos se entendem realmente lá no bar”

O Ixquina na esquina

O Ixquina Carioca fica localizado na Rua Doutor Faustino com a Joaquim Propício de Pina, no Bairro Jundiaí. Além de cervejas, nacionais e importadas, oferece petiscos e aos sábados promove sua Roda de Samba Independente, a partir das 15 horas.

O bar participa da Hora do Planeta, uma iniciativa da organização não governamental internacional WWF que tem por objetivo contribuir para a redução do aquecimento global e das mudanças climáticas. Nestes dias, as luzes do Ixquina se apagam e o ambiente fica à luz de velas.

Desde 1994 o imóvel onde está localizado o Ixquina Carioca funciona como bar, mas este nome foi dado pelos atuais proprietários apenas em 2010. É bem verdade que, não fosse este bar, talvez o Rio de Janeiro não teria vindo para cá de maneira tão intensa e nem Anápolis seria tão carioca quanto ela se tornou.

Saúde pública: casos de dengue aumentam por falhas no combate ao mosquito, afirma especialista

De acordo com dados divulgados pelo Ministério da Saúde, número de casos aumentou, somente em 2019, 303% em todo o país. Para farmacêutico Adriano Magno, que atua em pesquisas voltadas ao estudo de novos produtos eficazes no combate ao mosquito da dengue, as ações governamentais não têm sido suficientes para conter o avanço da doença. Métodos utilizados pelo poder público apresentam baixa eficácia, conforme destaca o profissional.

Com números ainda mais alarmantes em 2019, a incidência da dengue no Brasil colocou em alerta especialistas de todo o país. Os casos da doença cresceram 303% em 2019, de acordo com dados disponibilizados pelo Ministério da Saúde e que levam em consideração levantamento feito até o dia 30 de março deste ano. Durante os três primeiros meses do ano, foram 322.199 casos, ou seja, 242.259 a mais no comparativo com o mesmo período de 2018.

De acordo com o farmacêutico e mestre em tecnologia Adriano Magno, as abordagens e diretrizes estabelecidas por secretarias de saúde estaduais e municipais e as ações federais para o combate à dengue estão na contramão do desenvolvimento de tecnologias voltadas para eliminar o foco da doença. “Todos os anos, novos produtos e técnicas são desenvolvidos com a preocupação de eliminar o principal responsável pelo aumento dos casos, a larva do mosquito Aedes Aegypti. Enquanto o poder público se preocupa apenas em matar o mosquito já infectado, as novas tecnologias para impedir o desenvolvimento da larva estão a todo vapor”, ressalta o profissional, que atua em pesquisas voltadas ao estudo de novos produtos eficazes no combate ao mosquito da dengue.

Um dos produtos que vêm sendo usado em larga escala na agropecuária e em áreas urbanas para eliminar larvas do inseto é o inseticida Diflubenzuron. O produto também pode ser utilizado para combater as larvas do mosquito Lutzomyia Longipalpis, vetor transmissor da Leishmaniose. “É um erro afirmar que somente as ações de conscientização da população promovidas pelos agentes públicos de saúde serão eficientes para impedir o aumento do número de vetores transmissores. O Brasil é um país de dimensões continentais, o que torna praticamente impossível identificar todos os focos de larvas e insetos. É preciso ir além, com o uso em larga escala de produtos eficazes. Os governos e a população não conseguem vencer esta luta sem o apoio da ciência”, ressalta o farmacêutico Adriano Magno.

Os dados apresentados pelo Ministério da Saúde demonstram o quadro de incidência da dengue por regiões: o Sudeste apresenta a maior quantidade dos chamados casos prováveis (213 mil ou 66% dos registros), sendo considerada ainda a região do país com segunda maior incidência da doença, com 243,5 casos a cada 100 mil habitantes. O Centro-oeste, apesar de ocupar a segunda colocação em número de casos prováveis (56 mil casos), está no topo em incidência, com 349 casos a cada 100 mil habitantes.

Seis estados apresentam incidência acima de 300 casos a cada 100 mil habitantes, considerado um dos parâmetros, mas não o único, para determinar se existe ou não uma epidemia de dengue. De acordo com os dados do Ministério da Saúde apresentados, o Tocantins tem incidência de 687 casos a cada 100 mil habitantes; o Mato Grosso do Sul, 519 casos/100 mil habitantes; Goiás, 479 casos por 100 mil habitantes; Acre, 468 casos por 100 mil habitantes; Minas Gerais, 388 casos por 100 mil habitantes; e Espírito Santo, 304 casos por 100 mil habitantes.

“Esses dados mostram apenas uma parte da realidade, pois nem todos os casos são notificados pelas autoridades de saúde. Se forem levados em consideração os casos não notificados, poderemos identificar um quadro ainda pior”, destaca ainda o farmacêutico e mestre em tecnologia Adriano Magno. O profissional reforça que o Diflubenzuron é hoje um dos métodos mais eficazes para o combate à larva do mosquito aedes aegypti, o que pode ser comprovado por estudos científicos sobre o assunto.

“Pesquisas recentes indicam que nos locais tratados com o diflubenzuron, 100% das larvas do mosquito da dengue são eliminados. É um produto de fácil aplicação e está disponível no mercado em todo o país. Após o primeiro tratamento, o índice de reinfestação é muito baixo, ou seja, as larvas demoram muito tempo a reaparecer nos locais tratados. Além disso, a substância não contamina a água dos locais onde é aplicada. Os estudos comprovam que é mais eficiente combater a larva antes que ela se transformem em mosquito”, conclui o farmacêutico Adriano.