Mostra Kzulo 2019 será lançada nesta quinta-feira (21), com homenagens às famílias árabes de Anápolis

Evento deste ano será realizada no casarão que pertenceu ao casal Fued Homsi e Mouna Zac Zac Homsi. Lançamento desta quinta, voltado a lojistas e profissionais e aberto à comunidade, será um preparativo para a Mostra, que vai ser realizada a partir de 20 de agosto. Público poderá realizar um verdadeiro passeio histórico pelos ambientes de uma casa que remete às tradições, cultura e sofisticação dos povos árabes que escolheram terras anapolinas para morar.

A Mostra Kzulo 2019 será lançada nesta quinta-feira (21), no casarão que vai abrigar o evento, localizado na rua 7 de setembro, número 756. Localizada no centro de Anápolis (Goiás), a casa, com sua arquitetura moderna, revela diversos aspectos da cultura árabe, que será homenageada nesta edição. Ao longo de todo o dia, o local permanecerá aberto ao público, das 9h às 12h e das 14h às 16h. Será servido um café da manhã e haverá um coffee break à tarde para os visitantes.

“Neste ano, vamos valorizar os árabes que contribuíram para o desenvolvimento econômico, social e cultural da cidade de Anápolis. Cada família tem a sua importância – podemos observar a sua influência em diversos aspectos do desenvolvimento da cidade, inclusive na culinária e até mesmo nos costumes”, afirma a idealizadora e diretora da Mostra Kzulo, Joseane Pereira. Conforme explica, a casa será aberta ao público para um verdadeiro passeio histórico.

“Diversos profissionais e lojistas das áreas de arquitetura, design de interiores, paisagismo, construção civil e de diversas outras áreas participarão do evento e já poderão escolher um ambiente para desenvolver seu projeto. Será uma ótima oportunidade para conhecer e se apaixonar pela Mostra Kzulo, que chega à sua terceira edição com perspectivas de bons negócios para os participantes. E a população vai poder sentir um pouco do gostinho de tudo o que vamos oferecer na edição de 2019”, acrescenta Joseane Pereira. Ainda há vários ambientes disponíveis para os interessados em realizar projetos arquitetônicos durante a Mostra.

A Mostra Kzulo 2019 ocorrerá a partir do dia 20 de agosto de 2019.

Serviço – Lançamento da Mostra Kzulo 2019
Data: 21 de março de 2019 – quinta-feira
Horários: 9h às 12h e 14h às 16h
Local: rua 7 de setembro, 756, Centro – Anápolis (GO)

Contato da Mostra Kzulo 2019
Josiane Pereira – (62) 99365-9971

Assessoria de Imprensa
Felipe Homsi – (62) 996954572

Advertisements

OAB: Conselheiros federais de Goiás e de todo o Brasil tomarão posse nesta terça-feira (19)

A sessão solene de posse dos novos diretores e dos conselheiros federais da OAB Nacional para o triênio 2019-2021 será realizada no dia 19 de março, quarta-feira, em Brasília. O advogado tributarista Dalmo Jacob do Amaral Júnior representará o município de Anápolis e será empossado no Conselho Federal.

“Vivemos um novo momento na advocacia anapolina. Como conselheiro federal da OAB, quero representar todos os meus colegas de Anápolis e buscarei projetos que valorizem os profissionais da advocacia”, ressalta Dalmo Jacob, que atuará na diretoria da Comissão Nacional de Direito Tributário.

Os conselheiros Goianos atuarão nas diversas comissões da Ordem dos Advogados do Brasil. “A OAB participa ativamente da construção da história do Brasil. A entidade sempre se posiciona a favor dos brasileiros – não será diferente no próximo mandato da diretoria . Continuaremos atendendo aos anseios da sociedade”, ressalta o conselheiro federal Dalmo Jacob.

Oficialmente, o grupo formado pelos diretores e conselheiros já iniciou os trabalhos – a posse administrativa foi realizada no dia 1º de fevereiro. Fazem parte da Diretoria Felipe Santa Cruz, presidente; Luiz Viana Queiroz, vice-presidente; José Alberto Simonetti, secretário-geral; Ary Raghiant Neto, secretário-geral adjunto; e José Augusto Araújo de Noronha, diretor-tesoureiro.

Juntamente com o advogado anapolino Dalmo Jacob, os advogados goianos Fernando de Paula Gomes Ferreira, Marcello Terto, Marisvaldo Cortez Amado e Valentina Jungmann Cintra foram reconduzidos ao cargo como conselheiros federais. Rafael Lara Martins, atual diretor da Escola Superior de Advocacia (ESA) e advogado especialista em Direito do Trabalho, tomará posse para o primeiro mandado no Conselho Federal da OAB.

Biografia

Dalmo Jacob do Amaral Júnior
Advogado e atua no Direito Tributário. É pós-graduado em Direito Tributário, Especialista em Direito Constitucional e em Direito Tributário. Foi Vice-Presidente da Comissão Nacional de Direito Tributário e da Comissão de Direitos Humanos da OAB-GO e atua em Goiás, Distrito Federal, Bahia, Amazonas, Minas Gerais e Rondônia.

Fernando de Paula Gomes Ferreira
Advogado e professor universitário, atuante no Direito Público e no Direito Civil. É especialista em Direito Civil, Processo Civil e Direito Público, mestre em Direito, Relações Internacionais e Desenvolvimento.

Marcello Terto
Advogado e atua nas áreas de Direito Constitucional, Administrativo, Tributário, Financeiro, Econômico, Civil, Empresarial e Processo Civil. É pós-graduado em Ordem Jurídica e Ministério Público, em Direito Civil e Processual Civil e em Advocacia Pública. É presidente da Anape, ex-presidente da Apeg, ex-conselheiro seccional da OAB-GO e ex-presidente da Comissão do Advogado Público e Assalariado. Atua em Goiânia e Brasília.

Marisvaldo Cortez Amado
Advogado e professor universitário. Atua em Goiânia e Brasília nas áreas do Direito Empresarial, Bancário, de Família e Educacional. É mestre em Direito, especialista em Direito Público, vice-presidente da Academia Goiana de Direito (Relações Sociais), ex-reitor da PUC-GO, ex-conselheiro seccional, ex-tesoureiro, ex-diretor geral da ESA e ex-Conselheiro Federal da OAB. Presidente da Comissão Nacional de Ensino Jurídico do Conselho Federal da OAB.

Rafael Lara Martins
Advogado, bacharel pela UFG, especialista em Direito do Trabalho, Direito Civil e Direito Processual Civil. Diretor-geral da Escola Superior da Advocacia, Conselheiro Seccional da OAB-GO desde Janeiro/2013, ex-presidente do Instituto Goiano de Direito do Trabalho (IGT) e da Comissão das Sociedades de Advogados da OAB de Goiás.

Valentina Jungmann Cintra
Advogada, procuradora do Estado de Goiás, mestre e doutora em Direito, professora universitária. É vice-presidente da Anape (Centro-Oeste), ex-presidente da Apeg, ex-vice-presidente da OAB-GO e ex-diretora-geral da ESA.

Com informações e foto do portal Rota Jurídica

Conselho Federal da OAB atua na defesa dos advogados brasileiros

Com um representante de Anápolis, conselho acumula importantes conquistas para a advocacia. Advogado anapolino Dalmo Jacob do Amaral Júnior, recém-empossado conselheiro federal, afirma que trabalhará para que os advogados continuem tendo voz ativa na entidade. “Vamos lutar para que a cidade de Anápolis fique em evidência no cenário nacional”, destaca.

A advocacia brasileira pode contar com o trabalho de excelência do Conselho Federal da OAB, que participa das principais transformações por que passa o Brasil, tendo sido protagonista de importantes mudanças no país. O conselho atua como mantenedor da constituição brasileira, forte na defesa das leis, da ética e da moral, conforme pontua o advogado anapolino Dalmo Jacob, conselheiro federal da Ordem dos Advogados do Brasil.

“Sempre que é convocado pela sociedade brasileira, o Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil atende ao clamor do povo, principalmente quando a Democracia e o Estado de Direito estão em risco. Na defesa dos advogados brasileiros, atuamos para combater distorções e garantir que os profissionais da Advocacia tenham a liberdade para exercer a profissão com dignidade”, acrescenta o advogado Dalmo Jacob.

Recentemente eleito conselheiro federal da OAB para o triênio 2019-2022, Jacob ressalta ainda que, no que depender do seu trabalho, Anápolis terá maior representatividade no Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil. “Estou no segundo mandato consecutivo e permaneço motivado para trabalhar em prol da sociedade brasileira e dos advogados do Brasil. A advocacia pode contar com meu trabalho. Vamos lutar ainda para que a cidade de Anápolis fique em evidência no cenário nacional”, afirma o conselheiro federal da ordem.

Nos últimos anos, o Conselho Federal da OAB atuou, com ampla participação de Dalmo Jacob, em diversas ações importantes para a Democracia e, consequentemente, para a Advocacia no país. Em 2018, a entidade promoveu um evento de homenagem pelos 30 anos de promulgação da Constituição Federal. O evento contou com as presenças de cinco ministros do Supremo Tribunal Federal.

Os inúmeros benefícios para a sociedade e para os advogados e que tiveram atuação direta da OAB na gestão 2016-2019 incluem: garantia de imunidade tributária às Caixas de Assistência aos Advogados, férias para a advocacia na Justiça do Trabalho com suspensão de prazos processuais, manutenção da advocacia na tabela IV do Simples Nacional, alterações no Estatuto da Advocacia e novo Código de Processo Civil, instituição do diário eletrônico da OAB, garantia da plenitude dos honorários assistenciais da Justiça do Trabalho, estabelecimento de contagem de prazos somente em dias uteis para qualquer ato processual, criação das caravanas das prerrogativas para assegurar o livre exercício da advocacia e desagravar advogados e advogadas de todo o país.

Atuação

Na gestão 2016-2019, o advogado Dalmo Jacob do Amaral Júnior, conselheiro federal da OAB, atuou na Comissão Especial de Direito Tributário, com participação direta na elaboração da PEC (Proposta de Emenda à Constituição) 94/2016, que foi aprovada pelo Congresso Nacional e estabeleceu novo regime especial de pagamento de precatórios, determinando prazo de quitação em 2020 dos valores pendentes até março de 2015. “Hoje, a Emenda Constitucional 94/2016 possibilita o pagamento mais rápido dos precatórios. O texto também possibilita que pessoas com mais de 60 anos de idade, portadores de doença grave ou pessoas com deficiência tenham preferência nos pagamentos”, explica o conselheiro federal Dalmo Jacob.

Jacob participou também no texto da PEC 99/2017, que propunha o ajustamento e ampliação dos meios alternativos de pagamento e financiamento dos precatórios. “Nesse caso, a grande vitória foi a possibilidade de utilização dos depósitos judiciais para o pagamento dos precatórios. Tive a honra de participar da proposição desta PEC, que foi aprovada pelo Congresso Nacional e possibilitou a injeção de bilhões de reais na economia brasileira”, conclui o advogado Dalmo Jacob do Amaral Júnior.

Conselheiro federal da OAB, Dalmo Jacob exalta feitos da entidade que transformaram a história do país

Advocacia e Democracia
Conselheiro federal da OAB, Dalmo Jacob exalta feitos da entidade que transformaram a história do país
Somente na gestão 2016-2019 do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil, dois pedidos de impeachment em desfavor de presidentes da república foram protocolados, além de um pedido de afastamento de presidente da Câmara. A entidade participa ativamente das discussões sobre temas como Previdência e Reforma Trabalhista. A defesa dos advogados em todo o país promove a garantia de direitos para os profissionais da advocacia.
Recém-eleito conselheiro federal da Ordem dos Advogados do Brasil, o advogado Dalmo Jacob do Amaral Júnior representará Anápolis mais uma vez no Conselho da OAB. Ele, que participou ativamente de acontecimentos históricos recentes da entidade, principalmente no período compreendido entre 2016 e 2019, evidencia fatos que ficarão registrados para sempre na história do Brasil e da advocacia brasileira.
“É preciso reconhecer o papel que a OAB desempenha ao longo da sua história. A Ordem dos Advogados protocolou recentemente dois pedidos de impeachment em desfavor de presidentes da República. São dois exemplos claros da força que a entidade possui”, ressalta o conselheiro Dalmo Jacob, que atua na Comissão de Direito Tributário do Conselho Federal. Dilma Rousseff foi acusada de crime de responsabilidade fiscal e Michel Temer teve um diálogo suspeito gravado com o empresário Joesley Batista.
O advogado relembra ainda os protestos ocorridos no Brasil em 2013, contra aumentos abusivos nas passagens e diversas outras reivindicações da população brasileira. “Eu me lembro bem daquele momento, mesmo que eu não estivesse ainda como conselheiro federal da OAB. O povo brasileiro queria justiça. A Ordem dos Advogados do Brasil esteve do lado da população”, evidencia Jacob.
“Somos os guardiões da constituição. A população sabe que pode contar com a OAB, por mais justiça, ética e desenvolvimento para os brasileiros”, acrescenta ainda o conselheiro federal da OAB Dalmo Jacob.
Com relação a Eduardo Cunha, a OAB foi uma das primeiras a se levantar quando as primeiras acusações contra o ex-deputado vieram à tona – a Ordem dos Advogados do Brasil pediu seu afastamento em fevereiro de 2016. O Supremo Tribunal Federal afastou Cunha em maio de 2016. Ele foi condenado a 15 anos e 4 meses de prisão.
A eleição recente do advogado Dalmo Jacob para o conselho federal da OAB coloca em evidência a importância desempenhada pelo município de Anápolis no cenário nacional. Com a representatividade, a cidade conquista um porto seguro na defesa dos advogados brasileiros e locais. “Continuarei atuando no conselho para que o povo brasileiro seja respeitado e a constituição permaneça sendo a base que sustenta a democracia brasileira”, conclui.

Filho de João de Deus está preso em Goianápolis, afirma OAB

O advogado Sandro Teixeira de Oliveira, filho do médium João Teixeira de Faria, encontra-se preso no Presídio de Goianápolis. A informação foi apurada pela reportagem junto ao advogado Emilio Fernandes, membro da Comissão de Prerrogativas da OAB-GO.

Além de Emílio, outros representantes da OAB estão na cidade para acompanhar o caso. Após denúncia oferecida pelo Ministério Público de Goiás, o poder judiciário decretou a prisão de Sandro Teixeira por coação no curso do processo e corrupção ativa de testemunha.

Luciana Sinzimbra: O despreparo da sociedade para amparar as vítimas de violência doméstica – Conteúdo exclusivo

Os relatos de violência doméstica e feminicídio têm sido recorrentes nos noticiários brasileiros. Muito se fala acerca da importância de a mulher registrar ocorrência contra o agressor, porém, nessa mesma proporção, observamos a inaptidão da sociedade e das leis para acolher as denunciantes.

Isso porque a sociedade ainda possui a ideia de que, para se evitar a violência doméstica, basta que a mulher rompa com a relação nos primeiros sinais de descontrole ou, em caso de a agressão ser concretizada, que seja realizado o registro de ocorrência, dando fim a esse mal.

Quem dera fosse tão simples.
Essa ideia fantasiosa advém de séculos de machismo enraizado na nossa história, que desconsidera o abalo psicológico da vítima, que vem sendo culpada, humilhada e ameaçada pelo parceiro por todos os seus descontroles, o que mina qualquer pensamento em acusar o agressor ou abandoná-lo.

Há de se destacar também que o agressor não exerce o papel de tirano constantemente. A violência doméstica segue, muitas vezes, um ciclo composto por fases. Primeiro, é a construção da tensão no relacionamento, seguida da explosão e agressão e, por último, a fase da lua-de-mel, onde o agressor pede desculpas e promete não mais repetir tais abusos. Contudo, passada a calmaria, o ciclo se repete, com uma agressividade ainda maior.

Para combater a violência doméstica, são cruciais, além de medidas punitivas, projetos que estejam voltados para a prevenção e apoio que permitam à vítima e à sua família ter assistência social, psicológica e jurídica necessárias à recomposição após a violência sofrida. Contudo, no cotidiano observamos um Estado negligente, que não dispõe de sistemas de diagnósticos e registros apropriados. As delegacias, sistema prisional e judiciário estão abarrotados e, em algumas regiões, possuem uma equipe despreparada para receber e orientar as vítimas.

A legislação brasileira exige o exame de corpo de delito, que em regra é realizado por perito do IML, elaborando seu laudo com base nos hematomas visíveis ao olho nu, pois, às vezes, não lhe é fornecido materiais e nem formação técnica compatível para o atendimento destes casos. Como resultado de tais exames, a vítima vivencia um segundo abuso, igualmente traumático. Assim, esses fatores, somados ao despreparo da sociedade frente à dinâmica das relações intrafamiliares violentas, levam as vitimas a se calarem.

A via mais adequada para se reverter esse quadro preconceituoso que estorva o combate à violência domestica é a abordagem incessante acerca do tema nos veículos de comunicação em massa, visando à conscientização e educação, transformando a mentalidade brasileira. Portanto, é importante que as mulheres se unam e tenham voz, perpetuando a luta para ampliação dos direitos políticos e jurídicos conquistados, exigindo do Estado uma guarnição completa às vitimas, tanto na esfera jurídica como psicológica e social.

Luciana P. Sinzimbra é Advogada Associada no escritório Aued & Sulzer Parada – filial Goiás, com atuação voltada para as áreas empresarial, cível e trabalhista. É graduada em Direito pela Unievangélica e possui MBA-LLM em Direito Empresarial pela FGV-Rio. É membro da Comissão de Direito Empresarial da OAB – Subseção Anápolis – triênio 2015 – 2018.

As opiniões dos articulistas do Blog Linha Editorial são de inteira responsabilidade dos autores.

Jornalista responsável
Felipe Homsi – RP. 2422/GO

Casa da Sopa de Anápolis nega ligação com Casa Dom Inácio de Loyola

Felipe Homsi

Desde que João Teixeira de Faria, o João de Deus, foi preso no dia 16 de dezembro, o nome da Casa da Sopa de Abadiânia, instituição social vinculada à Casa Dom Inácio de Loyola, passou a circular em mídias sociais e veículos de comunicação.

Em Anápolis, A Associação Beneficente Casa da Sopa Maria de Nazareth existe há 23 anos e, apesar de carregar nome parecido com o de sua homônima de Abadiânia, não tem relação com aquela unidade de assistência social e nem possui vínculos com a Casa Dom Inácio de Loyola.

Neste domingo (6), a Casa da Sopa anapolina enviou nota ao blog Linha Editorial sobre o tema – confira o texto na íntegra ao final da notícia. A instituição promove bazares assistenciais, arrecadação de cestas básicas para famílias carentes, apoio a estrangeiros em situação de vulnerabilidade e assistência espiritual. Também fornece refeições gratuitas a famílias pobres no município de Anápolis.

Nota de Pronunciamento

A Casa da Sopa, diante de tantos vídeos e notícias veiculados sobre a causa de João de Deus, onde cita Casa da Sopa, viemos através da rede social dizer que essa casa situada em Anápolis há 23 anos não tem qualquer ligação com a Casa Dom Inácio de Abadiânia. Existe sim uma Casa da Sopa lá. Nós repudiamos qualquer ato criminoso, de abuso de qualquer natureza, e nossa casa está aberta para qualquer esclarecimento. Somos espiritualistas cristãos, e apenas disseminamos amor, caridade e evangelização e todas as curas que vieram através dessa casa são totalmente ligadas à fé e ao nosso maior médico Jesus de Nazareth!
Compartilhem e ajude-nos a divulgar essa nota! (Sic)